Ministério da Cultura
Cultura

Zaire acolhe festival cultural internacional "FESTICONGO"


Deverão também participar no evento, os Camarões, Tchade e a Guiné Equatorial, informou esta quinta-feira, 13, em Luanda, a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, no final da II Reunião da Comissão Multissectorial para Salvaguarda do Património Cultural Mundial, orientada pelo Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa.



Carolina Cerqueira ressaltou que o FESTICONGO vai se constituir numa grande manifestação artística onde serão feitas exposições, entre outros atractivos, em alusão ao segundo aniversário de aceitação da cidade de Mbanza Kongo a património mundial.



As autoridades tencionam tornar a cidade de Mbanza Kongo numa das amostras da cultura africana e internacional, no âmbito da Bienal da Paz, que se realiza em 2019, em Angola.



A Comissão de Património Mundial da UNESCO declarou, por unanimidade, o centro histórico da cidade de Mbanza Kongo, norte de Angola, como Património Mundial da Humanidade.



A secular cidade angolana de Mbanza Kongo, na província do Zaire, foi candidatada pelo Governo angolano a Património Cultural da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), sendo a primeira validada no país por aquela Organização da ONU para a Educação, Ciência e Cultura.



A decisão de declarar o centro histórico de Mbanza Kongo como Património Mundial da Humanidade foi tomada durante a 41ª sessão daquela comissão, reunida em Cracóvia, no sul da Polónia.



O projecto "Mbanza Kongo, cidade a desenterrar para preservar", que tinha como principal propósito a inscrição desta capital do antigo Reino do Congo, fundado no século XIII, na lista do património da UNESCO, foi oficialmente lançado em 2007.



O centro histórico de Mbanza Kongo, na província do Zaire, no norte de Angola, está classificado como património cultural nacional desde 10 de Junho de 2013, um pressuposto indispensável para a sua inscrição na lista de património mundial.



A candidatura de Angola destacava que o Reino do Congo estava perfeitamente organizado aquando da chegada dos portugueses, no século XV, uma das mais avançadas em África à data.



Semba – Candidato a património cultural imaterial da Humanidade



As autoridades angolanas preparam a candidatura do SEMBA a património Cultural Imaterial da Humanidade.  



“Analisamos que o nosso Semba tem condições para ser candidato a património imaterial da humanidade, mas há uma série de procedimentos legais que temos que responder”, informou a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira.



Disse haver um relatório de fundamentação que terão que preparar com os peritos e com a participação da sociedade civil e outras instituições como academia de Letras.



Angop